Stay

Eu costumava ter muito medo de morrer. E, sinceramente, ainda tenho. Minhas viagens de avião que o digam. Mas o meu medo de morrer era um medo muito específico. Meu medo de morrer era um medo maior do que o de morrer. Era medo de desaparecer.

Medo de gente que não se abre para o mundo. Medo de eu, em minha eterna solidão, reclusa em mim, morrer e acabar. Morrer sabendo que nunca, em anos habitando a terra, alguém me conheceu de verdade. Medo de morrer com tudo isso aqui dentro de mim sem que ninguém soubesse. Medo de morrer tendo passado a vida em meu próprio túmulo.

Ao longo dos anos eu fui aprendendo a abrir. A expôr. A let it go. E claro que isso traz muita bad de vez em quando. Afinal, se mostro tanto de mim para o mundo. O que sobra para mim? O que ainda é exclusivamente meu?

Em minha última viagem de avião (e aqui abro um parênteses para dizer: a vida é muito difícil quando o amor que se sente por viajar é diretamente proporcional ao medo que se sente de voar) eu senti medo de morrer. As usual. E experimentei uma sensação incrível de ficar.

Que não sobre nada para mim. Que eu deixe em cada um de meus amores um pedaço meu. Que eu seja espalhada pela terra, inteira dividida entre todos os que passaram pela minha vida.

Eu não tenho mais medo de desaparecer. Eu, tão envolvida em toda essa profundidade que chamam de amor livre, estou bem espalhada. E a sensação é incrível. De conhecer de verdade. De ir a fundo. De saber que me deixei. De formas diferentes, com pessoas diferentes, eu fui ficando. Cada um dos que ficam levam consigo um segmento meu. E assim eu fico.

Em todos os nomes que me chamam carregam algo de mim. O que chamam apelidos carinhosos, eu chamo pseudônimos. Dentro de cada um deles está uma noite que viram comigo, uma manhã que acordam ao meu lado, uma conversa interminável na qual me revelei, na qual deixei que soubessem quem eu sou. Na qual me dividi, sem diminuir. Um dividir que multiplica.

Que eu siga saindo da exclusividade cada vez mais. Que eu siga me partilhando pelo mundo. Que eu vá com essa incrível sensação de ficar.

Stay